Blog da UC de Gestão de Comunidades de Aprendizagem online
pesquisar neste blog
posts recentes

Balanço final do trabalho por projeto

Balanço do Projeto de Intervenção

Balanço Geral

As decorações do Natal

Reflexão Intermédia

O Diário de Turma e o Conselho de Turma!

A importância do estágio supervisionado para a formação de professores

Alguma angústias e preocupações durante a prática pedagógica

Estratégias !

Momento de autonomia das crianças

arquivos

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

participar

participe neste blog

Quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011
Reflexão sobre a 7ª semana de intervenção (de 21 a 23 de Novembro)

 

A 7ª semana de intervenção (do dia 21 ao dia 23 de Novembro) foi da responsabilidade da Rita, sendo que ambas planificamos juntas, tal como sempre fazemos, pois consideramos que desta forma as nossas planificações se tornam mais coerentes.
Os temas de trabalho desta semana foram os seguintes:
2ª Feira:
·         Formação Cívica: Dar continuidade ao projeto “CRESCER… Comigo e com os Outros!”;
·         Estudo do Meio: A Família;
·         Língua Portuguesa: Continuação da exploração do livro “O Segredo do Rio”; Elaboração de uma carta.
 
Iniciamos a manhã de segunda feira com a discussão e reflexão de ideias acerca das questões: “Deves ajudar sempre os outros?” e “És obrigado a respeitar sempre os outros?”. Seguindo a abordagem da Filosofia para Crianças, no decorrer do diálogo vamos introduzindo novas questões que contrapõe ou apoiam as respostas ou ideias das crianças, com a intenção de as fazer pensar sobre os mais diversos assuntos do seu dia a dia e das atitudes que demonstram com os outros.
Depois de terminado o diálogo dispusemo-nos todos em roda e colocamos-lhes as seguintes questões: “Será que poderíamos viver sozinhos?”, “O que nos une todos uns aos outros?”. Demos continuidade a esta atividade de identificação e relacionamento utilizando um novelo de lã, o qual foi passando por cada criança, á medida que estas identificavam no colega um elo de ligação, ou simplesmente, uma qualidade com a qual se identificavam. No final, através da teia de lã formada pudemos observar que todos estamos interligados e que necessitamos sempre do apoio dos outros para vivermos harmoniosamente. Para isso, precisamos de os saber respeitar e reconsiderar as nossas atitudes para com aqueles que gostamos e, também, para com aqueles de quem não gostamos tanto.
Seguiu-se a visita, já habitual ao blog do nosso projeto “CRESCER…comigo e com os outros!” (http://www.crescercomigoecomosoutros.blogspot.com/), no qual o grupo se identifica bastante e revelam gosto por se identificarem nas fotografias e esta torna-se uma excelente forma de fazê-los recordar do que foi realizado nas sessões passadas.
Por fim, abrimos o nosso “Correio dos segredos”, criado também neste projeto, onde as crianças, todas as semanas, escrevem cartas, desabafos, uns para os outros e às segundas-feiras, a caixa do correio é sempre aberta e é distribuída a correspondência.
Relativamente à área de Estudo do Meio, e sendo a nossa temática a família, iniciamo-la com recurso à leitura em voz alta de uma história. Após a leitura da história colocamos algumas questões ao grupo relacionadas com as caraterísticas da família de cada um em particular.
Passamos, de seguida, à apresentação de uma árvore genealógica, na qual exploramos os graus de parentesco e a hierarquia da mesma. Distribuímos depois uma cartolina por cada criança, na qual eles teriam que elaborar a árvore genealógica da sua família, identificando os graus de parentesco dos familiares representados. Os trabalhos serão posteriormente afixados na sala de aula.
Terminada esta atividade, foi distribuída por cada criança uma atividade de projeto, que teve início na sala de aula, mas que terá que ser terminada em casa, visto que é necessário para a resposta de algumas questões, informações mais específicas de dados dos seus familiares que estas não têm conhecimento.
Na aula de Língua Portuguesa, demos continuidade à exploração do livro “O Segredo do Rio” de Miguel de Sousa Tavares. Começamos pela leitura de algumas páginas do mesmo, seguindo-se a interpretação do excerto. Para a elaboração da carta, começamos por escrever em conjunto uma carta imaginária, na qual constou os elementos essenciais que uma carta deve ter, para que as crianças pudessem de seguida elaborar a sua própria carta, a um familiar, a um amigo, etc.
Para isso, distribuímos uma folha e um envelope por cada criança, que foram preenchidos e serão posteriormente enviados pelo correio para o destinatário indicado.
 
 
3ª feira:
 
Demos início à aula de Expressão Motora, com o jogo do “Camaleão”, no qual um dos alunos ficou como “camaleão” e foi dizendo cores. As restantes crianças tiveram que tocar na cor dita para ficarem a salvo. Caso o camaleão tocasse na criança antes de esta se conseguir salvar, seria esta criança o próximo “camaleão”.
De seguida, jogamos o “Jogo dos sinais de pontuação”. Este jogo consistiu na identificação dos sinais de pontuação associados a frases representativas, ou seja, por exemplo a frase “Vai já para o teu quarto!”, tratando-se de uma ordem e tendo o sinal de exclamação, as crianças associaram ao sinal de exclamação o movimento pretendido, por exemplo correr, e assim sucessivamente com frases declarativas, interrogativas e frases inacabadas. Terminamos a aula com alguns exercícios respiratórios e de relaxamento.
Na aula de Matemática, utilizamos um Powerpoint previamente elaborado para a explicação das várias hipóteses de raciocínio matemático para a formação da tabuada dos 8. Ou seja, que é possível a partir da tabuada dos 2 encontrarmos a tabuada dos 4 se multiplicarmos os seus resultados por 2 e é ainda possível encontrarmos a tabuada dos 8 se multiplicarmos os resultados da tabuada dos 4 por 2. É também correto se adicionarmos 8 unidades aos resultados da tabuada dos 8.
Distribuímos, depois, um desafio matemático, sobre a tabuada dos 8 que consiste num jogo de dados, no qual eles terão que proceder à contagem das pintas dos dados, chegando desta forma aos resultados da tabuada dos 8.
Por fim, realizamos uma ficha de trabalho com revisões das operações, leitura e escrita de números, tabuadas, e situações problemáticas.
Em Língua Portuguesa, começamos por ouvir em suporte digital a leitura da fábula “O velho, o rapaz e o burro” de La Fontaine. Interrompemos a fábula a meio, para que o grupo nos dissesse como seria o final da história, sabendo eles que as fábulas têm no final uma mensagem ou uma moral para o leitor. Continuamos a ouvir a história, confrontando o seu final com as suas ideias sugeridas por eles.
Realizamos de seguida uma ficha de interpretação da fábula e introduzimos as conjugações verbais com recurso a um powerpoint, o qual continha um excerto da fábula estudada, no qual o grupo teria que identificar os verbos presentes. Procedemos à conjugação dos mesmos no presente, pretérito perfeito e futuro.
 
4ª feira:
 
Com recurso ao quadro interativo, projetámos um jogo, que se designa por “Pacman da multiplicação”, relativo à temática das tabuadas e da multiplicação. Este jogo consistia na adequação do resultado à multiplicação pedida, através do jogo de Pacman tradicional.
Veio uma criança de cada vez ao quadro interativo jogar, enquanto os restantes alunos estavam a completar uma ficha de trabalho com situações problemáticas relativas à temática.
 
Como aspetos positivos, salientamos o progressivo à vontade sentido na exposição da aula, bem como na resolução de problemas que vão surgindo no decorrer dos dias.
Outro dos pontos marcantes é a relação de afetividade e de amizade que as crianças estabeleceram connosco. Isso é, sem dúvida, o mais marcante, pois percebemos que gostam de nos ter lá e das tarefas que lhes propomos.
Como é a primeira vez, que nos encontramos num contexto deste género, ou seja, numa turma do 1.º Ciclo do Ensino Básico, é natural que existam alguns receios e dificuldades da nossa parte, em organizar tarefas verdadeiramente motivantes e divertidas, que os ajudem simultaneamente a aprender.
Por vezes, é-nos difícil adequar as estratégias aos resultados que são pretendidos e nem sempre conseguimos que o grupo esteja tão motivado quanto nós, para a realização das tarefas propostas. Por outro lado, revelamos ainda dificuldade na captação da atenção de alguns elementos da turma, que por vezes se distraem e perturbam o trabalho dos colegas.
A gestão do tempo, também se torna uma dificuldade, pois nem tudo corre sempre ao ritmo que nós queremos e, por vezes, é necessário abrandar e deixar para trás algumas das atividades que tínhamos idealizado para esse dia.
Dentro do grupo o que mais nos preocupa é a relação entre as crianças. Alguns são bastante competitivos e muitas vezes não são compreensivos com os colegas. Existem muitas situações em que não se respeitam, não respeitam as diferentes opiniões e têm uma grande dificuldade em aceitar as diferenças dos outros. São crianças com muito medo de falhar e, por isso mesmo, tentam ser os melhores em tudo, tornando-se competitivos entre eles.
Pensamos que esta semana foi muito positiva e chamamos à atenção para a atividade de Língua Portuguesa de terça feira, relativa à análise e interpretação da fábula e a continuidade dada para a conjugação verbal através do excerto da mesma, pois funcionou muito bem e tivemos um nível bastante elevado de participação por parte do grupo.
Outra das atividades mais marcantes foi a do jogo do “Pacman da multiplicação”, no qual todos se mostraram ansiosos por participar e em acertar todas em todas as operações.
Foi uma semana muito divertida e cheia de aprendizagens, na qual nos demonstramos sucessivamente mais confiantes.

tags: , ,

publicado por joana-tavares às 12:16

4

De joana-tavares a 1 de Dezembro de 2011 às 12:18
Reflexão realizada por Joana Tavares e Rita Gonçalves


De andreiaosorio a 2 de Dezembro de 2011 às 12:50
Olá Joana e Rita!
Achamos muito interessantes o tipo de atividades que vocês propõem às crianças. Um dos aspetos que vos gostaríamos de felicitar foi o facto de serem o grupo a escolherem as fotografias a colocarem no blog uma vez que por detrás dessa atividade está uma estratégia relacionada que é fazer com que eles relembrem as aulas passadas e além disso, fá-los sentir mais importantes e subindo a sua auto-estima.
Uma das vossas angustias nós também já presenciámos no contexto que estivemos no semestre passado. Na sala tínhamos um menino de cor e as crianças rejeitavam-no. Quando as crianças querem, conseguem ser muito cruéis. Esse menos era excluído para tudo, principalmente quando havia um trabalho de grupo para fazer e teriam de escolher os elementos. Tentámos várias estratégias fomentando o trabalho em grupo, mas foi mesmo muito complicado. Contudo, como se tratava de um 4º ano, final do ano letivo, já não havia muito a fazer.
Continuem com o vosso bom trabalho!
Andreia e Elisabete.


De soniapcorreia a 3 de Dezembro de 2011 às 23:30
Olá meninas,
Queremo-vos dar os parabéns pela originalidade na forma como trataram os temas desta semana, o que denota que o 1.º CEB não tem de ser um mero ensino formal mas em que a ludicidade também pode e deve estar presente. Ainda mais porque não deixam de ser crianças aquelas que se encontram nesta etapa do ensino. O recurso ao fio de lã foi uma ideia impressionante e certamente fez as crianças pensarem no quão cada colega é importante e necessário para a sua felicidade e a dos outros, independentemente do seu exterior, pois o interior e aquilo que se é concerteza é o que nos faz sentir empatia pelo outro. Certamente que a mensagem que queriam transmitir foi passada.
Em relação ao blog da turma, é muito interessante o resumo que fazem semanalmente do mais importante que retiram da aplicação das atividades que propõem às crianças no âmbito do vosso Projeto de Seminário. Nas fotos vê-se claramente a alegria que elas demonstram na execução do que vocês lhes propõem e isso certamente se traduz numa enorme gratificação para vocês. E, porque bem sabemos o incalculável trabalho que está por detrás de tudo isto!
Por fim, a ideia do «Correio dos segredos» é maravilhosa, assim as crianças poderão apresentar as suas questões e dúvidas sem receio do comentário do outro. Faz-nos lembrar as sessões da Formação de Educação Sexual e em que nos sentíamos bem mais à-vontade quando a caixinha passava. Reflete um pouco o medo que temos, e que as crianças também partilham, do julgamento dos outros. A estratégia que utilizam poderá ajudar a que este receio diminua ou então, quem saiba, num futuro próximo, desapareça e faça estas crianças serem autoconfiantes e confiem nos outros.

Um bom fim de semana para vocês.

Bjinhu
Andreia Alcobia e Sónia Correia


De sara-cristina a 13 de Dezembro de 2011 às 21:26
Olá meninas!
Semana muito interessante...
Na nossa sala, apresentámos na 1º semana de intervenção conjunta a "Caixinha das questões", muito parecida com a "Correio dos segredos". É uma iniciativa com grande adesão por parte dos alunos pois, tal como a Andreia e a Sónia referiram, deixa os alunos muito à vontade para colocarem todo o tipo de questões (apesar dos nossos alunos o fazerem mesmo sem a caixa das questões). Todas as semanas tivemos muitas perguntas e o mais engraçado é que são questões das mais variadas coisas, desde matéria de sala de aula até a situações triviais do dia-a-dia. Para acompanhar a nossa caixa, criamos um glossário onde se encontram todas as respostas às perguntas feitas e todos os alunos são livres de as consultarem quando quiserem.

Parabéns...

Denise Francisco e Sara Nunes




Comentar post

Autores
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
17
19

24
25
26
27
28

29
30
31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post