Blog da UC de Gestão de Comunidades de Aprendizagem online
pesquisar neste blog
posts recentes

Balanço final do trabalho por projeto

Balanço do Projeto de Intervenção

Balanço Geral

As decorações do Natal

Reflexão Intermédia

O Diário de Turma e o Conselho de Turma!

A importância do estágio supervisionado para a formação de professores

Alguma angústias e preocupações durante a prática pedagógica

Estratégias !

Momento de autonomia das crianças

arquivos

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

participar

participe neste blog

Sexta-feira, 29 de Novembro de 2013
A Família ... aprendizagem de uma música

         

Olá meninas :)

 

            Quero partilhar convosco uma atividade que desenvolvi com as crianças. Esta atividade consistia na aprendizagem de uma música sobre a família com o acompanhamento de instrumentos, uma vez que durante esta semana a temática era a “Família”.

            Os instrumentos que as crianças utilizaram foram realizados por eles no dia anterior e consistia em cortar garrafas em tiras.

            Para a minha intervenção estabeleci quatro objetivos centrados nas crianças, tendo por base a planificação, execução e avaliação, sendo que os apresentarei um a um.

1           As crianças devem ser capazes de planificar as atividades;

a.      Tomam decisões relativamente a como querem aprender a música;

b.      Tomam decisões relativamente ao momento da música em que tocam.

Relativamente a este objetivo, as crianças conseguiram cumpri-lo, uma vez que referiram que gostavam de aprender a música na íntegra, repetindo comigo até a conseguirem cantar sozinhos. Assim que as crianças aprenderam a música, questionei-as relativamente ao momento em que deveriam tocar os instrumentos, ao qual estas referiram que queriam tocar os instrumentos no fim de cada verso.

            O segundo objetivo que defini para a minha intervenção foi:

2.             As crianças devem ser capazes de executar a apresentação autonomamente;

a.      Cantam a canção sozinhos;

b.      Tocam os instrumentos sem a ajuda do adulto.

As crianças apresentaram alguma dificuldade em cantar sozinhos, principalmente alguns versos da música. No entanto, foram capazes de tocar os instrumentos sem ajuda do adulto e no momento em que tinham planificado.

O terceiro objetivo consistia na avaliação da atividade.

3.             As crianças devem ser capazes de refletir sobre as suas ações;

a.      Avaliam o seu desempenho e o dos colegas;

b.      Referem os aspetos negativos e positivos que ocorreram durante a música.

Relativamente à avaliação as crianças foram capazes de identificar as suas dificuldades, mostrando que foram capazes de compreender o objetivo da atividade e de analisar se conseguiram ou não atingir esse objetivo. Ou seja, as crianças tinham estabelecido a forma como queriam aprender a música e, no fim, foram capazes de especificar claramente qual a sua dificuldade e mostrando que são capazes de “pensar depois”, sendo que a dificuldade que especificaram consistiu na interiorização do quarto verso da música. Para além disto, as crianças foram capazes de avaliar o empenho dos restantes colegas, informando que algumas crianças não cantaram continuadamente a música.

 

Com base nos meus objetivos, gostaria de saber:

·         Que outros aspetos poderia ter colocado na fase da planificação, execução e avaliação para atingir ainda mais objetivos com esta atividade.

 

Apresento-vos a música que desenvolvi com as crianças para que compreendam os meus objetivos e a dificuldade sentida pelas crianças.

 

Não há nada neste mundo

Que me faça feliz assim

Que ter a minha família

Sempre bem juntinha a mim

 

O meu pai, a minha mãe

Que nunca nos deixam sós

Os irmãos, primos e tios

Os avós e as avós

 

 

Continuação de um bom trabalho!

Beijinho.

Márcia Oliveira.

 


tags:

publicado por mrmo às 18:51

12

De ssd a 29 de Novembro de 2013 às 19:32
Boa tarde Márcia...

a atividade que apresentaste parece-me muito interessante, pois ao contrário do que muitas vezes acontece, deste a oportunidade às crianças para participarem na planificação e avaliação, e não apenas na execução. Apesar de se tratar de uma atividade que é muitas vezes realizada pelas crianças, tornaste-a ainda ainda mais enriquecedora, na medida em que os meninos puderam tomar decisões e realizarem a atividade a seu gosto, para além de que permitiste que desenvolvessem a sua autonomia. No que diz respeito à avaliação, este é um aspeto também importante, uma vez que permite que a criança tome consciência da sua ação e da ação dos outros. Para além disto, ao avaliarem-se e ao avaliarem os outros, as crianças desenvolvem a competência oral e a argumentação ao especificarem as facilidades e dificuldades que sentiram
Relativamente à questão que colocas, não teria muito a acrescentar. Talvez numa atividade do género, na fase da planificação, poderia seria interessante as crianças criarem com a ajuda da educadora a letra de uma pequena música sobre um determinado tema.

Beijinho e continuação de um bom trabalho!

Sabrina Duarte


De mrmo a 1 de Dezembro de 2013 às 11:17
Olá :)

A resposta ao teu comentário encontra-se como comentário ao post, uma vez que realizei um só comentário, no sentido de responder a todas.

Beijinho :)
Márcia Oliveira :):


De marisaasilva a 30 de Novembro de 2013 às 12:18
Olá Márcia! :)
Para começar posso dizer que achei esta atividade interessante, uma vez que esta é uma atividade que normalmente é do interesse das crianças e imagino que tenhas partido daí para ser capaz de atender a estas necessidades das crianças. Assim como a avaliação feita por elas próprias promove a tomada de consciência, entre o que fizeram bem e o que poderiam melhorar numa próxima atividade.
No entanto, não consegui perceber muito bem como ocorreu a construção dos instrumentos, ou seja, cada criança escolheu o que fazer e como o fazer? Decidiram apenas as educadoras ou o grupo decidiu o mesmo instrumento para todos? Pergunto isto pois achava pertinente que cada criança tivesse a oportunidade de fazer aquilo que lhe daria mais prazer e consequentemente, vocês iriam evidenciar níveis de implicação mais elevados.
Para terminar posso concordar com a Sabrina, talvez a maior participação das crianças na escolha e/ou escrita da música poderiam originar outros resultados.

Continuação de bom trabalho! ;)
Beijinhos,
Marisa


De mrmo a 1 de Dezembro de 2013 às 11:17
Olá :)

A resposta ao teu comentário encontra-se como comentário ao post, uma vez que realizei um só comentário, no sentido de responder a todas.

Beijinho :)
Márcia Oliveira :):


De imgt a 30 de Novembro de 2013 às 12:42
Olá Márcia :)
Antes de mais achei a atividade muito interessante e desafiante.
O facto de as crianças terem liberdade de escolherem e tomarem decisões acerca das atividades propostas, penso que é uma mais valia e que os seus níveis de implicação sejam muito elevados uma vez que elas podem fazer as suas próprias escolhas mediante o que mais gostam.
As crianças participaram na escolha do "instrumento" e da música ou foram propostos por ti?
Quando apresentas te a música às crianças, esta era cantada por ti ou foi reproduzida?
Em relação à avaliação, as crianças devem saber desde cedo identificar as suas dificuldades, e ao pedir-lhes para elas se auto avaliaram estas a contribuir para isso, o que ao meu ver é muito bom.
Em relação à questão que colocas, as tuas atividades e os teus objetivos estão bastante completos, não tendo nenhuma sugestão para te dar, contudo concordo com a Sabrina no que diz respeito à elaboração da própria letra da música pelas crianças.
Parabéns pelo sucesso desta atividade e continuação de bom resto de trabalho.
Bjs
Ivete Teixeira


De mrmo a 1 de Dezembro de 2013 às 11:18
Olá :)

A resposta ao teu comentário encontra-se como comentário ao post, uma vez que realizei um só comentário, no sentido de responder a todas.

Beijinho :)
Márcia Oliveira :):


De ana-resende a 30 de Novembro de 2013 às 15:52
Olá Márcia .)

Obrigada por partilhares esta atividade connosco, pois parece-me bastante interessante.
De facto, considero, que tudo o que envolve a música, principalmente no pré-escolar, se torna numa atividade muito mais interessante, mais diâmica, que permite diferentes explorações, etc. Segundo Góes (2009, p.3) “a música é uma forma de conhecimento que possibilita modos de perceção e expressão únicas e não pode ser substituída por outra forma de conhecimento.” Acrescenta ainda que “a música é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento da identidade e autonomia.” (Góes, 2009, p.4).
Neste sentido, como tu referes, as crianças conseguiram tocar os instrumentos autonomamente, evidenciando as suas capacidades e interesse na atividade. Contudo, os instrumentos que as crianças construíram foram escolhidos por elas ou foram sugeridos pelo adulto? E porquê?
Por fim, gostava de saber quanto tempo demorou esta atividade? As crianças não ficaram cansadas? Pergunto isto, porque já fizemos uma atividade do género em que as crianças também tinham que aprender a letra de uma música e, ao fim de algum tempo, começaram a ficar cansadas de estarem sempre a fazer o mesmo. Assim optámos por deixá-las ir brincar e, sempre que se proporcionasse cantávamos a canção, em que as crianças acabaram por aprender mais livremente.
Respondendo à tua pergunta, acho que não tinha nada a acrescentar, tendo em conta os objetivos que estabeleceste para a atividade.

Continuação de um bom trabalho,
Ana Resende


De mrmo a 1 de Dezembro de 2013 às 11:18
Olá :)

A resposta ao teu comentário encontra-se como comentário ao post, uma vez que realizei um só comentário, no sentido de responder a todas.

Beijinho :)
Márcia Oliveira :):


De mrmo a 1 de Dezembro de 2013 às 11:16
Olá Sabrina, Marisa, Ivete e Ana Resende :)

Desculpem estar a responder a todas no mesmo comentário, mas como as questões são iguais torna-se mais fácil responder às vossas questões desta forma.

A minha intenção com esta atividade era desenvolver nas crianças a sua capacidade de autorregulação das suas aprendizagens. Ou seja, a autorregulação pressupõe que a crianças são capazes de criar/gerir as suas próprias estratégias de aprendizagem e ir (re)orientando-as a partir das perceções de feedback que recebe e da reflexão que faz no processo de avaliação, melhorando a suas estratégias de aprendizagem. Para além disto, a autorregulação é desenvolvida através do ciclo autorregulatório, que consiste na planificação, execução e avaliação. Deste modo, nas atividades que tenho realizado e esta atividade foi desenvolvida através de objetivos que envolvessem processo autorregulatório, tendo para cada objetivo tópicos específicos que me permitem orientar a minha prática e ir ao encontro do que quero desenvolver nas crianças.

Concordo com o que disseram quando referem que a atividade desenvolvida promove a participação das crianças, pois são estas que estão a tomar decisões relativamente às suas aprendizagens, a tomada de consciência, a sua autonomia, no sentido de assumirem a responsabilidade pela sua aprendizagem e permite que os níveis de implicação sejam mais elevados.

Relativamente à construção dos instrumentos estes foram realizados no dia anterior. Levei para a aula vinte e quatro garrafas, de vários tamanhos e cores e cada criança escolheu que instrumento queria construir a partir da garrafa que tinha. Algumas crianças optaram por transformar a garrafa num reco-reco e outros optaram por cortar a garrafa em tiras. No que diz respeito à distribuição das garrafas, estas foram decididas pelas crianças, não ocorrendo nenhum percalço na distribuição das mesmas. Quero ainda referi que propus a realização de instrumentos, pois segundo as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar “O acompanhamento musical do canto (…) permite enriquecer e diversificar a expressão musical” (p. 65).

A música foi proposta por mim, eu apresentei a música às crianças após a decisão, por parte das mesmas, acerca da forma como a queriam aprender, sendo cantada por mim e pela minha colega.

Relativamente à elaboração de uma letra pelas crianças, penso que era um pouco complicado devido ao tempo de intervenção, uma vez que foi realizado numa quarta-feira de manhã. Contudo, penso que poderá ser uma boa estratégia numa próxima intervenção.

A duração da atividade durou cerca de 45 minutos e as crianças não revelaram cansaço, até pelo contrário, após aprender a música que lhes propus e de termos realizado a atividade, podendo ir para as áreas, pois ainda tinham tempo, estas não quiseram ir, quiseram cantar com o acompanhamento dos instrumentos outra música e depois pediram para cantar novamente a música que lhes apresentei.

Ana Resende, gostaria de saber qual a referência bibliográfica que utilizaste para realizar o teu comentário, uma vez que pode ser pertinente para a análise da atividade desenvolvida.

Espero ter esclarecido as vossas questões! :)

Continuação de um bom trabalho!
Beijinho.
Márcia Oliveira.

Referências bibliográficas:
DEB (1997). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: Departamento da Educação Pré-Escolar.

Rosário, P. S., Núñez, J. C., & González-Pienda, J. (2007a). Auto-regulação em crianças sub-10 - Projecto Sarilhos do Amarelo. Porto Editora.


De ana-resende a 1 de Dezembro de 2013 às 11:47
Olá Márcia :)

Obrigada pela tua resposta, pois é muito esclarecedora, não tendo assim mais nada a questionar :)
Peço desculpa por não ter colocado a referência bibliográfica, foi por esquecimento!
Aqui vai:
- Góes, R. (2009). A música e suas possibilidades no desenvolvimento da criança e do aprimoramento do código linguístico. Revista do Centro de Educação à Distância


De imgt a 1 de Dezembro de 2013 às 12:04
Olá Márcia
Através da tua resposta esclareces-te todas as minhas dúvidas e questões, não tendo mais anda a acrescentar.
Continuação de ótimo trabalho.
bjs
Ivete Teixeira


De ana-vivas a 7 de Dezembro de 2013 às 19:17
Olá Márcia.

Achei muito interessante a atividade que desenvolveste com as crianças. Estás de parabéns pela forma de como a iniciaste, pois não é muito comum de se ver. É muito importante deixar as crianças participarem na planificação das atividades, pois ao serem elas a planificar o seu nível de implicação consegue ser muito bom.
Deste modo, ao serem as crianças a planificarem e a decidirem como querem realizar a atividade, no seu decorrer elas estarão mais interessadas, pois sente que estão a fazer algo que elas escolheram.

No meu ponto de visto, na atualidade isto não acontece muito, pois as educadoras limitam-se planificar sozinhas e "impõem" as atividades às crianças, não tendo a preocupação de elas também participarem na planificação.

Quanto à dificuldade que as crianças sentiram em decorar a letra da música, penso que é normal. E o facto de elas terem conseguido fazer a avaliação da atividade penso ter sido o ponto mais positivo da atividade.

Em relação à questão que colocas não tenho dada a acrescentar, pois acho que foi uma atividade bem desenvolvida ao ponto de as crianças terem tido oportunidade de participar na planificação da atividade.

Beijinhos e continuação de bom trabalho
Ana Vivas


Comentar post

Autores
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
17
19

24
25
26
27
28

29
30
31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post