Blog da UC de Gestão de Comunidades de Aprendizagem online
pesquisar neste blog
posts recentes

Balanço final do trabalho por projeto

Balanço do Projeto de Intervenção

Balanço Geral

As decorações do Natal

Reflexão Intermédia

O Diário de Turma e o Conselho de Turma!

A importância do estágio supervisionado para a formação de professores

Alguma angústias e preocupações durante a prática pedagógica

Estratégias !

Momento de autonomia das crianças

arquivos

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

participar

participe neste blog

Sexta-feira, 29 de Novembro de 2013
Temática do Projeto
         A temática do meu projeto de intervenção é “Sensibilização à Diversidade Linguística e Cultural, privilegiando a utilização do Quadro Interativo” e foi escolhida e estruturada em conjunto com a minha colega, Maria João Silva.

Este é um tema pertinente a ser trabalhado na atualidade devido à diversidade cultural, cada vez mais notória na nossa sociedade. Para além disso, considero tratar-se de um assunto aliciante.

Esta sensibilização deve ser feita desde os primeiros anos de vida das crianças, para que estas desenvolvam: atitudes positivas de abertura à diversidade linguística e cultural, ficando motivadas para a aprendizagem de línguas; capacidades de ordem metalinguística e metacognitiva; cultura linguística, saberes relativos às línguas (cf. Martins, 2008 e Candelier, 2007).

Para levar a um envolvimento ativo e dinâmico das crianças decidi utilizar o jogo no Quadro Interativo, para trabalhar de uma forma lúdica a temática.

Tal como a diversidade cultural, as Novas Tecnologias da Comunicação (NTC) também fazem parte integrante do nosso quotidiano, assumindo um papel de extrema relevância, uma vez que facilita o acesso à informação, a comunicação entre as pessoas, trata-se de um instrumento apelativo, que desperta o interesse das crianças. Desta forma, considero uma mais-valia a sua utilização na sala de aula.

 

Perante o exposto anteriormente, coloco as seguintes questões:

 

Candelier (coord.), & et al. (2007). CARAP - Framework of reference for pluralistic approaches to languages and cultures. Graz: ECML (European Centre for Modern Languages).

Martins, F. (2008). Formação para a diversidade linguística - um estudo com futuros professores do 1º Ciclo do Ensino Básico. Tese de Doutoramento. Aveiro: Universidade Aveiro.

 

Raquel Dias


tags: , , , ,

publicado por raquel-dias às 14:42

8

De ana-resende a 29 de Novembro de 2013 às 16:31
Olá Raquel :)

Antes de mais, considero a temática do teu relatório de estágio muito interessante e atual. Por isso, gostava de saber como é que este surgiu? Tiveste em conta os interesses do grupo de crianças da tua sala?
Referes que vais recorrer ao quadro interativo e ao jogo, o que eu acho uma estratégia dinâmica e capaz de captar a atenção das crianças. Mas vais recorrer sempre as estes dois recursos? Porquê?
Respondendo agora às questões que colocas, considero que a utilização das novas tecnologias de comunicação têm mais vantagens do que desvantagens quando utilizadas no pré-escolar, tudo depende dos objetivos, da exploração e da qualidade da prática educativa.
Neste sentido e, concordando com a autora Amante (2004), uma prática de qualidade pode também ser estimulada pelo recurso à utilização de novas tecnologias no jardim de infância, entendidas não como um mero recurso didático, mas como um instrumento cultural que seja utilizado na prática pedagógica com finalidades sociais autênticas que lhe confiram significado. Assim, o computador numa sala de jardim de infância deverá constituir-se como um instrumento que as crianças utilizam não como finalidade em si mesma, mas antes como um meio cultural de que se apropriam no sentido de realizar atividades que assumem significado real e que se inserem num contexto integrado e social de aprendizagem, do qual o computador também faz parte. Neste sentido, uma utilização adequada da tecnologia é aquela que permite expandir, enriquecer, diferenciar, individualizar e implementar a globalidade dos objetivos curriculares. Portanto, as atividades desenvolvidas em redor da tecnologia devem ser perspetivadas como novas oportunidades educativas mas integradas num todo que lhes atribuirá e reforçará o seu sentido. (Amante, 2004, p.139).
Por sua vez, se não existirem regras para a utilização do computador dentro da sala, este pode-se tornar numa desvantagem para a criança, uma vez que esta pode não o estar a utilizar corretamente, pode estar a passar muito tempo em frente ao ecrã e, assim pôr em causa a sua socialização com o restante grupo de crianças. Por isso, cabe ao profissional de educação estar atento a estas questões e, a partir do momento em que o comutador vai para dentro da sala, este tem que dialogar com as crianças acerca do mesmo e, com elas estabelecer regras de utilização. Por exemplo, na sala de pré-escolar em que estou inserida neste semestre existe um computador dentro da sala e, no início este era utilizado quase sempre pelas mesmas crianças e por longos períodos de tempo. Após uma mãe pedir à educadora para que os seus filhos (gémeos) passassem pouco tempo em frente ao computador, a educadora estabeleceu um conjunto de regras com as crianças e, criou uma tabela em que as crianças que utilizavam o computador tinham que lá escrever o seu nome, não podendo ir mais que uma vez. Neste sentido, se houver esta preocupação por parte do adulto, considero que só há vantagens em utilizar as novas tecnologias de comunicação no pré-escolar.

Continuação de um bom trabalho,
Ana Resende

Referência bibliográfica:
Amante, L. (2004). Explorando as novas tecnologias em contexto de educação pré-escolar: A atividade de escrita. Análise Psicológica, v. 22, n.º1: Lisboa


De raquel-dias a 22 de Dezembro de 2013 às 18:50
Olá Ana,

As tecnologias sempre foram um foco de interesse para mim, já li muito sobre esse assunto e vários autores consideram que é uma mais-valia a utilização das tecnologias na sala de aula. Além disso, como não há trabalhos sobre uso do Quadro Interativo Multimédia na SDLC na educação pré-escolar, ao contrário do que acontece no 1ºCEB achei pertinente e atual experimentar com crianças mais pequenas.
Quanto à segunda questão a escolha do tema foi anterior a conhecer o grupo de crianças com quem ia trabalhar. No entanto, já tinha utilizado o QIM noutros contextos em que verifiquei um grande entusiasmo por parte das crianças. Após conhecer o grupo de crianças tentei sempre ir ao encontro dos seus interesses ao elaborar os jogos.
Uma vez que o meu estudo se foca nesses dois aspetos irei centrar-me apenas neles. Realizei os mesmos jogos na mesa para, desta forma, poder comparar o envolvimento e empenho das crianças.
Concordo quando dizes que “se não existirem regras para a utilização do computador dentro da sala, este pode-se tornar numa desvantagem para a criança, uma vez que esta pode não o estar a utilizar corretamente, pode estar a passar muito tempo em frente ao ecrã e, assim pôr em causa a sua socialização com o restante grupo de crianças.”, por esse motivo, estive sempre atenta ao que a crianças fazia no computador, ao tempo da sua utilização, permitindo que todas as crianças passassem pela área do computador.

Obrigada pela partilha.
Raquel Dias


De mrmo a 29 de Novembro de 2013 às 18:16
Olá Raquel :)

Quero começar por referir que considero a tua temática bastante atual e pertinente. Gostaria, no entanto, de saber se quando pensaram nesta temática já sabiam que o contexto onde iam desenvolver a vossa Prática Pedagógica Supervisionada utilizava o quadro interativo.

Relativamente à tua primeira questão, considero que é importante utilizar as Novas Tecnologias da Comunicação (NTC), até porque o desenvolvimento destas fazem parte das Metas de Aprendizagem para a Educação Pré-Escolar.

As NTC são apresentadas pelas Metas de Aprendizagem com o intuito de não se “ […] esgotar ou limitar as oportunidades de aprendizagem que se podem proporcionar a crianças em idade pré-escolar, constitui-se antes como um quadro de referência que permite clarificar e situar as aprendizagens que asseguram à criança condições para abordar com sucesso a etapa seguinte” (p. 21).

Segundo Silva e Torres (2009) “Estes quadros [interativos] são utilizados em vários contextos, como em salas de aula, em qualquer nível de ensino […] ” (p. 36) o que mostra que a utilização de quadros interativos até possível até em contextos de educação de infância.

No que diz respeito à segunda questão considero que tudo depende do uso que fazemos das NTC. No entanto, considero que estas abrem às crianças outros espaços, “ […] o que lhes permite ir bem mais longe no seu desenvolvimento” (Tavares & Barbeiro, 2011, p. 8).

Continuação de um bom trabalho!
Beijinho.
Márcia Oliveira.

Referências bibliográficas:

Ministério da Educação. (2010). “Metas de Aprendizagem”. Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC).

Slva, F., Torres, J. (2009) . Avaliação da utilização em sala de aula de um quadro digital interactivo baseado no wiimote. Revista da Faculdade de Ciência e Tecnologia. Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa.

Tavares, C., Barbeiro, L. (2011). As Implicações das TIC no Ensino da Língua. Ministério da Educação. Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular.


De raquel-dias a 22 de Dezembro de 2013 às 17:41
Olá Márcia.

Quando pensámos na possibilidade de utilizar o Quadro Interativo no nosso projeto de intervenção didática informamo-nos se havia algum no centro escolar, perguntando às colegas que se encontravam lá a trabalhar e contactando com a coordenadora da escola.
Obrigada pela partilha, apresentaste autores que já conhecia e outros que vão ser muito importantes para desenvolver a parte teórica.

Beijinho,
Raquel Dias


De ssd a 30 de Novembro de 2013 às 13:03
Bom dia Raquel...

considero a tua temática interessante, pelo facto de conciliares dois aspetos diferentes, como a SDLC e a utilização do quadro interativo.
Pelo que percebi, as tuas atividades serão dinamizadas através do quadro interativo, mas que tipo de atividades irão desenvolver ou já desenvolveram para sensibilizarem as crianças para a diversidade linguística e cultural?
Para além do quadro interativo permitir despertar o interesse das crianças e se tratar de um instrumento apelativo, que outras vantagens podes enunciar? Uma vez que muitas das atividades que são realizadas através do quadro interativo, podem também serem realizadas de uma forma igualmente motivadora e sem o recurso a este instrumento.
Relativamente à tua primeira questão, penso que seria vantajoso para as crianças a utilização do quadro interativo já no pré-escolar, mas infelizmente não me parece ser muito praticável, tendo em conta a situação económica em que nos encontramos.
Quanto às desvantagens e vantagens da utilização das NTC no pré-escolar, penso que se forem bem trabalhadas tendo em vista a implicação das crianças e o seu desenvolvimento, só poderão trazer vantagens, mas é necessário ter em conta a forma como são utilizadas.

Beijinho e continuação de um bom trabalho!

Sabrina Duarte


De raquel-dias a 22 de Dezembro de 2013 às 17:14
Olá Sabrina,

A utilização do Quadro Interativo é mais um recurso a utilizar para, desta forma, diversificar as atividades e motivar as crianças. Não menosprezo a utilização de materiais manipuláveis, uma vez que estes assumem grande importância na educação pré-escolar.
De acordo com vários autores, a salientar Cortesão (2012) e Spínola (2009) a utilização do QI tem muitas vantagens, a salientar:
•Aumenta a atenção e concentração durante a aula.
•Aumenta a motivação para os conteúdos lecionados.
•Aumenta a participação e colaboração. Garante a permanência no tempo da mensagem e a sua difusão espacial libertando os alunos da tarefa de copiar para o caderno o conteúdo do quadro.
•Desenvolve a autonomia do conhecimento nos alunos.
•Desenvolve o pensamento crítico dos alunos.

Como tenho conhecimento que existem Quadros Interativos instalados em várias escolas considero ser um recurso que deve ser explorado. Para além disso, nos centros escolares, como era o meu caso, as salas do 1ºCEB estão equipadas com QI podendo as crianças do pré-escolar usufruir, também, desse recurso.
Obrigada pelo comentário.
Raquel Dias

Referências Bibliográficas:
Cortesão, M. (2012). O ensino de Poesia com Quadro Interativo. Um estudo no 1.º Ciclo do Ensino Básico. Dissertação de Mestrado. Aveiro: Universidade de Aveiro.
Spínola, T. M. (2009). A utilização do quadro interativo multimédia em contexto de ensino e aprendizagem. Impacte do projecto “O Quadro interactivo multimédia na RAM”. Dissertação de Mestrado. Aveiro: Universidade de Aveiro.


De imgt a 30 de Novembro de 2013 às 22:38
Olá Raquel...
Acho o teu tema interessante.
Estamos na Era da Tecnologia, cada vez mais cedo as crianças têm acesso às novas tecnologias.
O facto de os profissionais da educação utilizarem-nas como instrumento de ensino só trará vantagens.
Permitindo utilizar e desenvolver atividades mais aliciantes paras as crianças e alunos o que contribuirá para o aumento dos níveis de implicação.
Em relação às tuas questões penso que a utilização das novas tecnologias no pré-escolar traz vantagens. Desafiam as crianças, estimulando-as através de jogos e atividades mais lúdicas, existência de trabalho de equipa e cooperação entre as crianças, maior motivação e consequentemente maiores níveis de implicação.
Para aprofundares melhor esta temática, aconselho-te a leres um relatório de estágio cujo título é: Ensino e aprendizagem com recurso às TIC na Educação Pré-Escolar e no Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico.
Penso que será interessante. Deixo- te o link de acesso.
Continuação de bom trabalho.
Bjs
Ivete teixeira

https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/1669/1/DissertMestradoAnaSofiaCostaMartinsVale2012.pdf





De raquel-dias a 22 de Dezembro de 2013 às 16:29
Olá Ivete :)

Concordo com tudo o que disseste. As novas tecnologias estão cada vez mais presentes na educação. Além disso, após a aplicação do projeto de intervenção didática pude ver que as NTC estimulam e cativam muito as crianças.
As novas tecnologias não são novidade para as crianças. Estas utilizam o computador, presente na sala, com bastante frequência, para pesquisas na internet, para ver filmes, para fazer jogos, entre outas atividades. Como indica Amante, “a tecnologia informática, designadamente as possibilidades disponibilizadas pela Internet, podem proporcionar aos educadores e as crianças oportunidades únicas de acesso, a pessoas, imagens, sons e informações muito diversificadas e dificilmente acessíveis de outro modo, que podem seguramente constituir-se como poderosos recursos educacionais.” (2007, p. 54). Após ter preparado e implementado várias atividades utilizando as novas tecnologias, a salientar, o Quadro Interativo, considero muito importante a sua utilização desde o pré-escolar.
Obrigada pelo documento está muito interessante.

Beijinho,
Raquel Dias

Referência Bibliográfica:
Amante, L. (2007). As TIC na Escola e no Jardim de Infância: motivos e factores para a sua integração. Sísifo N.º 3, pp. 51-64. Obtido em 19 de março de 2013, de http://sisifo.fpce.ul.pt/?r=11&p=51


Comentar post

Autores
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
17
19

24
25
26
27
28

29
30
31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post