Blog da UC de Gestão de Comunidades de Aprendizagem online
pesquisar neste blog
posts recentes

Balanço final do trabalho por projeto

Balanço do Projeto de Intervenção

Balanço Geral

As decorações do Natal

Reflexão Intermédia

O Diário de Turma e o Conselho de Turma!

A importância do estágio supervisionado para a formação de professores

Alguma angústias e preocupações durante a prática pedagógica

Estratégias !

Momento de autonomia das crianças

arquivos

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

participar

participe neste blog

Domingo, 3 de Fevereiro de 2013
Reflexão sobre aspetos importantes vivenciados durante o estágio

          Neste post gostaríamos de refletir e partilhar com vocês alguns aspetos que nos marcaram durante o nosso estágio, nomeadamente a reunião com os pais, a experiência de assistir a uma reunião de conselho de ano, falar um pouco sobre o convívio vivenciado com os outros professores da escola do Solposto e por último comentar a palestra que tivemos a oportunidade de assistir dinamizada pelo Dr. Daniel Serrão.

 

Reunião de pais

 

          Relativamente à reunião de pais, foi para nós uma nova experiência porque até então nunca tínhamos tido essa oportunidade enquanto professoras. Sentíamos alguma curiosidade em observar como o professor gere uma reunião de entrega de avaliações, que informação deve dar aos pais, de que forma deve fazê-lo, entre outros. Gostámos muito da maneira como a professora organizou a reunião, pois colocou em cada mesa a capa com os trabalhos, o caderno diário da escola, as fichas de avaliação e os documento a assinar. Para além disso teve o cuidado de escrever no quadro algumas informações, as quais estavam relacionadas com procedimentos que os pais podiam ir fazendo, dando-lhes alguma autonomia. Enquanto isso a professora estava mais disponível para um atendimento mais individualizado.  

        Ainda sobre a reunião foi positivo observar que os pais estão interessados em dar continuidade ao trabalho que a professora desenvolve na sala de aula. Verificámos que a professora foi dizendo aos pais para que, durante as férias, pedissem aos seus filhos que fizessem algumas cópias, ditados e no caso daqueles que ainda têm mais dificuldades para que aproveitassem o facto de ir ao supermercado para perguntar aos seus filhos que letras já conheciam que estivessem presentes por exemplo numa caixa de cereais. Foi interessante observar que os pais tinham consciência da importância que eles têm também na educação dos filhos no que toca a dar continuidade às aprendizagens.

           Sobre as avaliações, a professora Margarida já nos tinha informado, numa reunião, que o agrupamento não exige que cada professor preencha todas as grelhas de avaliação, no entanto ela alertou-nos para o facto de porventura algum encarregado de educação questionar alguma nota é importante ter essas grelhas todas preenchidas para que possamos fundamentar essa nota. Durante a reunião um pai questionou a nota do seu filho e para que a professora Margarida esclarecesse essa situação teve a explicar a esse encarregado de educação que existiam uma grelhas com vários itens a avaliar e que era necessário definir uma nota para cada item. Depois, de preenchida a gelha resultaria uma nota e seria essa a nota que constaria na folha de registo de avaliação. Muito provavelmente esse encarregado de educação desconhecia ainda o sistema e por essa razão questionou a nota. Esse foi um exemplo perfeito para perceber que é importante ter tudo bem estipulado porque pode ser necessário fundamentar alguma nota atribuída.

 

 

Reunião de conselho de ano

 

Para além da reunião de entrega das avaliações, também tivemos a oportunidade de assistir a uma reunião de conselho de ano no mês de dezembro. Foi nesta reunião que nos consciencializamos de uma forma mais real de todo o trabalho que um professor tem, trabalho que sustenta tudo o resto. Pudemos verificar que a reunião inicia-se com a leitura da ata da reunião anterior e os elementos pertencentes ao conselho de ano terão de aprovar o que foi lido e assinar. A cada reunião, um professor fica responsável pela criação da ata, sendo que a base da seleção está implícita na ordem alfabética. Outro aspeto que gostaríamos de focar prende-se com o facto que por vezes as professoras utilizavam siglas durante o discurso que desconhecíamos. Assim que foi possível, tentámos esclarecer com a nossa professora Margarida o significado das mesmas, ao qual ela informou que pela razão do agrupamento de escolas de S. Bernardo estar fundir-se com a escola José Estevam existiam novas designações, como é exemplo o CAP (Comissão Administrativa Provisória). Nessa reunião definiram ainda as frases a utilizar para preencher a grelha de registo de avaliação para os pais. Essas frases foram muito bem pensadas, pois para além de ser um primeiro ano, trata-se de um primeiro período e ainda é muito precoce estar a afirmar algumas características do aluno. É preferível dizer oralmente na reunião com cada encarregado de educação. Ainda na reunião fizeram um balanço sobre os comportamentos e atitudes dos alunos, dificuldades sentidas em cada domínios e ainda se os objetivos foram ou não alcançados. Para terminar a reunião, o conselho preparou o documento com as metas e os respetivos descritores para o segundo período. Infelizmente, por razões pessoais, não foi possível assistir a este momento da reunião. Apesar disso consideramos que esta reunião foi uma mais-valia para a nossa formação, pois permitiu-nos ter uma visão mais clara do trabalho desenvolvido em grupo pelos professores.

 

Contacto com a realidade fora da sala de aula

 

           O convívio com os professores da escola do Solposto começou no primeiro dia no intervalo da manhã com a ida ao chá na sala de recursos. Nestes momentos pudemos observar, e participar também, no convívio entre os professores, na partilha de ideias, dificuldades e sucessos alcançados. Neste convívio observámos que, por vezes, os professores fazem uma “pausa” nos temas escolares e abordam outros temas, aproveitando assim para descontrair. Contudo, é neste período de tempo que são dadas as novidades/noticias a todos os professores pela coordenadora da escola. 

        Foi num destes momentos de convívio que tivemos conhecimento de uma formação que se iria realizar no Agrupamento de Escolas de S. Bernardo com o Doutor Daniel Serrão sobre “A Magia e os Labirintos da Sexualidade - “Questões Éticas”. Era uma oportunidade que não podíamos deixar escapar. Considerámos que se tratou de um momento de reflexão sobre como abordar a sexualidade com os alunos, a importância do papel do professor nessa questão e ainda como o professor deve entender/compreender a sexualidade. O discurso do Doutor Daniel é acessível ao público, mas não deixa de ser cuidado. Uma característica que gostaríamos de referir trata-se da sua simplicidade e capacidade de dar exemplos da sua vida, o que torna o discurso muito mais interessante e o público sente-se muito mais descontraído como se estivesse num ambiente quase informal.

 

Lisete e Margarida 



publicado por analisete às 15:06

Autores
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
17
19

24
25
26
27
28

29
30
31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post