Blog da UC de Gestão de Comunidades de Aprendizagem online
pesquisar neste blog
posts recentes

Balanço final do trabalho por projeto

Balanço do Projeto de Intervenção

Balanço Geral

As decorações do Natal

Reflexão Intermédia

O Diário de Turma e o Conselho de Turma!

A importância do estágio supervisionado para a formação de professores

Alguma angústias e preocupações durante a prática pedagógica

Estratégias !

Momento de autonomia das crianças

arquivos

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

participar

participe neste blog

Sábado, 2 de Fevereiro de 2013
Comunidades online vs Papel dos professores


Com este post pretendemos aprofundar um pouco mais a nossa temática (Comunidades de aprendizagem vs papel dos professores), que foi exposta logo no início deste blog, dando-vos a conhecer novos autores e novas perspetivas.

      Segundo Gozzi a fronteira entre uma comunidade virtual e uma comunidade virtual de aprendizagem é muito ténue, visto que as trocas ocorridas em qualquer comunidade podem gerar aprendizagem. Mas se tivermos em linha de conta a intencionalidade de aprender, as comunidades virtuais de aprendizagem são aquelas que estão ao serviço de cursos ou disciplinas realizadas à distância, internet.

Ainda segundo o mesmo autor, quando existe a intenção de aprender, a comunidade virtual deve ser didaticamente orientada, sendo delineados objetivos e metas a serem atingidos durante o processo de aprendizagem.

Mas a aprendizagem e o ensino num ambiente online é, em muitos aspetos, semelhante ao ensino e a aprendizagem noutro qualquer contexto educativo formal: as necessidades dos aprendentes são avaliadas; o conteúdo é negociado ou estabelecido; as atividades de aprendizagem são orquestradas; e a aprendizagem é avaliada. Anderson (2004)

Tendo isto em linha de conta Anderson e outros autores defendem que uma verdadeira comunidade virtual tem de ter presentes três componentes principais: a presença cognitiva, a presença social e a presença de ensino.

A presença cognitiva é necessária uma vez que a aprendizagem real só se verifica se essa aprendizagem ocorrer num ambiente que apoie e desenvolva o pensamento crítico do aprendente.

Relativamente à presença social esta ocorre quando o ambiente criado na comunidade é um ambiente seguro e onde os participantes se sentem à vontade para comentar e partilhar as suas discordâncias, pensamentos ou ideias.

E por fim temos a presença de ensino, onde entra o nosso tema de pesquisa, o papel dos professores nas comunidades online.

Para que ocorra efetivamente ensino numa comunidade online, o professor primeiramente tem de desempenhar três papéis importantes:

- o papel da conceção e organização das experiencias de aprendizagem que se pretendem alcançar;

- o papel de conceber e implementar atividades que incentivem discussões entre os vários participantes da comunidade

- ser mais que um moderador de experiencias, contribuindo com as suas experiencias em determinados conteúdos.

É através destas atividades que o professor tem a oportunidade de afirmar a sua presença na comunidade.

Mas para Fernanda & Rodrigues, (2009) o papel do professor nas CVA vai mais além que as suas funções usuais na educação presencial tradicional, o professor tem o papel de:

·         Facilitador

·         Tutor

·         Provocador de participação

·         Estipular metas

·         Estar atualizado quanto a resursos disponiveis

·         Fonte de ajuda aos alunos

·         Ter iniciativa

·         Encorajar uma participação ativa dos alunos

·         Ajudar na formação do grupo, na designação de reponsabilides

·         Avaliar

 

Já para Valente (1999, citado por, Gozzi, 2012) o papel do professor numa comunidade virtual de aprendizagem é o de facilitador da construção do conhecimento, atuando como mediador no processo de construção de conhecimento desencadeado pelos participantes. Segundo esta perspetiva o professor deve de assumir o aluno como o centro do processo educacional, sendo parceiro e co-responsavel pelos resultados em termos de construção do conheciemnto.

 

Posto isto de facto uma das vantagens de se trabalhar através de uma comunidade online, é a possibilidade de flexibilização do tempo, e ainda a possibilidade de rever e adaptar os conteúdos trabalhados às necessidades dos alunos (o que não se pode verificar tão facilmente noutros métodos de ensino).

Apesar de toda esta flexibilização o professor não deve descorar a sua função de motivar, orientar e apoiar a aprendizagem dos alunos, aspetos que se encontram em concordância segundo os autores citados anteriormente. Como podemos verificar, o professor nestas comunidades em primeiro lugar não pode esquecer quais as suas funções primordiais enquanto professor, sendo necessário ir mais além, e desenvolver novas competências, adequadas ao ambiente de ensino.

 

Cláudia Marques e Liliana

 

Bibliografia

Fernanda, S., & Rodrigues, N. (2009). Novos significados desenvolvidos da formação de professores: contributo da pós graduação em Multimédia da Universidade de Aveiro para outras percepções da prática profissional. Aveiro: Universidade de Aveiro.

 

Gozzi, M. P. (Novembro de 2012). Gestão Pedagógica em comunidades virtuais orientadas para a aprendizagem: a importância da formação do professor mediador. Revista Electrónica de Educação, pp. 127-137.

 

Anderson, Terry (2004) - "O Processo de Ensino num Contexto de Aprendizagem Online".

 

 

 


tags: ,

publicado por claudiarmarques às 15:08

Autores
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
17
19

24
25
26
27
28

29
30
31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post