Blog da UC de Gestão de Comunidades de Aprendizagem online
pesquisar neste blog
posts recentes

Balanço final do trabalho por projeto

Balanço do Projeto de Intervenção

Balanço Geral

As decorações do Natal

Reflexão Intermédia

O Diário de Turma e o Conselho de Turma!

A importância do estágio supervisionado para a formação de professores

Alguma angústias e preocupações durante a prática pedagógica

Estratégias !

Momento de autonomia das crianças

arquivos

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

participar

participe neste blog

Quarta-feira, 31 de Outubro de 2012
A nossa turma!

Olá meninas,

Como primeiro post neste blog pensámos que seria relevante dar-vos a conhecer a turma com que temos tido oportunidade de contactar.

 

 

 

A sala onde nos encontramos é da responsabilidade da docente Maria de Lurdes Morais Duarte Pereira.

A turma é composta por dezassete alunos, com idades compreendidas entre os oito e os dez anos. Consideramos importante referir também que um dos alunos da turma tem Necessidades Educativas Especiais, sendo acompanhado às segundas-feiras e às quartas-feiras no período da manhã por uma Professora de apoio, e um aluno com hiperatividade.

            No que concerne ao desenvolvimento cognitivo do grupo em geral verifica-se um certo desfasamento de alguns elementos relativamente ao ano escolar em que se encontram, sendo necessário um apoio individualizado em alguns casos. Deste modo, é de salientar que dois alunos beneficiam de um plano de acompanhamento individualizado, em que podem usufruir de uma consolidação de conhecimentos de acordo com o seu ritmo de desenvolvimento.      

De um modo geral, na turma vive-se um clima de bem-estar, segurança e um envolvimento ativo em ações conjuntas que possam surgir sem um olhar atento de um adulto, como é o caso de em situações de recreio, se algum problema surgir, a entreajuda verifica-se entre os colegas de turma, bem como, colegas da escola.

Dentro de sala de aula, a professora da sala comentou que o comportamento desta turma está muito diferente desde o ano letivo passado. Inicialmente a turma era bastante irrequieta, não cumpriam muito bem as regras de comportamento de sala de aula e facilmente se distraíam. Nesta fase, as regras de sala de aula já estão mais interiorizadas, e a turma de uma forma geral respeitam-nas contudo existem momentos menos positivos, por exemplo o esperar pela sua vez de falar e intervir positivamente e de acordo com o que está em curso nem sempre acontece.

 O grupo demonstra um sentido de pertença bastante positivo, pois conhecem o seu espaço e também, a boa organização da sala facilita a circulação, sem haver conflito. Na relação com a docente, os alunos transmitem um sentimento de segurança, confiança, respeito e companheirismo, sendo que recorrem a esta sempre que necessitam. 

 

Bom trabalho para todas!!!!

Cátia e Fátima J



tags: , ,

publicado por catiaduarte às 16:37

11

De sara-alves a 4 de Novembro de 2012 às 23:32
Gostei deste vosso primeiro Post fizeram uma boa caracterização da turma mas penso que poderiam ter referido onde se localiza esta escola assim como do ano de escolaridade, pois como referem idades tão dispares numa mesma sala ficamos sem perceber qual é o ano. ;)

Fizeram muito bem em dar um exemplo quando se referiam ao ambiente de segurança e de envolvimento ativo que se vive entre as crianças da turma, assim é-nos mais fácil de perceber a que se referiam.

Quando referem que a professora diz que a turma está diferente do ano letivo anterior fiquei curiosa para saber se esta turma só está formada à um ano ou se desde o início da escolaridade obrigatória. Relativamente às regras da sala, por acaso não nos sabem dizer se estas foram impostas pela docente ou se foram negociadas/construídas devido à necessidade sentida pelas próprias crianças?

Gostaria, por último,de saber se é realizado o mesmo tipo de atividades para a criança que tem Necessidades Educativas Especiais (NEE) e para a restante turma? Ou se há alguma distinção? Já agora esta criança foi indicada como tendo NEE por que motivo? Défice de atenção? Ou outro?

Continuação de bom trabalho meninas! :)
Sara Alves


De Cátia a 5 de Novembro de 2012 às 00:06
Olá Sara,

Antes de mais muito obrigada pelas tuas dicas e comentários, assim é mais fácil a nossa interação e a perceção de todos os pormenores vividos na prática pedagógica de cada grupo.

Então comecemos por dizer que a turma frequenta o 4º ano de escolaridade, a turma foi formada desde o 1º ano porém mudou de professor no 3º ano. Sendo a Prof.ª Lurdes (que atualmente nos acompanha) professora desta turma desde o ano passado, daí referir que de um ano para o outro houveram mudanças.

Relativamente às regras da sala penso que foram implementadas de acordo com as necessidades sentidas pelas crianças, contudo iremos perguntar à docente para confirmar que assim foi.

Quanto às Necessidades educativas especiais a criança tem atividades diferentes da restante turma mas não é colocada de parte, sendo que está inserida no contexto de turma e participa em algumas atividades que são propostas em grande grupo. Foi indicada como NEE por ter um valor de Q.I. inferior à media para a sua faixa etária. Importante será dizer também que ainda temos um aluno com hiperatividade e défice de atenção.

Espero ter esclarecido as dúvidas, mas qualquer coisa não hesites...não hesitem :)

Cátia Duarte


De soniamaia a 6 de Novembro de 2012 às 17:32
Olá meninas!

Relativamente às regras da sala de aula gostaríamos de saber como é que estas foram trabalhadas com as crianças. Foi a professora que as implementou ou estas foram negociadas com o grupo?

No que respeita à sala de aula como é que esta está organizada? E relativamente aos instrumentos de gestão de sala de aula, utilizam algum? Como?

Bom trabalho

Sónia e Cristiana


De mjoao a 6 de Novembro de 2012 às 21:07
Viva!
Veremos o que respondem a Cátia e a Fátima e se percebem as vossas questões. Penso que podiam contextualizar melhor as perguntas. Por exemplo, o que vos levou a perguntar à colega como está organizada a sala de aula?
Bom trabalho.
MJL


De catiaduarte a 11 de Novembro de 2012 às 21:48
Olá meninas :)

Quanto às regras de sala de aula, como já disse no comentário anterior, foram trabalhadas com a turma toda e foram os alunos que as decidiram implementar.

Relativamente à organização da sala de aula vamos publicar uma planta em 2 e em 3D para que possam ver o espaço onde estamos diariamente. Posso adiantar que é uma sala grande, a disposição das mesas está muito bem conseguida pois conseguimos ver todos os alunos e eles conseguem nos ver também :)

beijinhos


De anacarvalho a 10 de Novembro de 2012 às 11:12
Olá Cátia e Fátima!

Consideram importante referir o aluno com NEE e o acompanhamento que a escola oferece. Fiquei com algumas questões relativas a esta situação. Que tipo de trabalhos fazem, que estratégias utilizam para se aproximarem desse aluno? Gerem o tempo, na sala de aula, de forma a conseguir um trabalho mais próximo e talvez até diferenciado com ele? Se sim, o que e como fazem com as restantes crianças? Como é a relação desse aluno com os restantes e com os adultos do vosso contexto? Uma última questão, o apoio que a escola presta a esse aluno é realizado por quem psicóloga, professora de educação especial?

Como frequentei a UC de educação especial fiquei com alguns recursos sobre o tema se precisarem de algum comuniquem. :)

Ficam os seguintes para reflexão:
- Decreto-lei n.3/2008. Disponível em: http://dre.pt/pdf1s/2008/01/00400/0015400164.pdf
- A educação especial na esfera pública em Portugal. Disponível em: http://repositorio.ipl.pt/bitstream/10400.21/1220/1/A%20Educa%C3%A7%C3%A3o%20Especial%20na%20Esfera%20P%C3%BAblica%20em%20Portugal.pdf

Beijinhos e continuação de bom trabalho!


De catiaduarte a 11 de Novembro de 2012 às 21:56
Olá Ana,

desde já muito obrigada pelos documentos, vão ser muito úteis :)

Agora vou tentar responder a todas as tuas questões, então relativamente ao aluno de NEE nós realizamos algumas atividades específicas para ele. Tentamos estar as duas em contacto com ele para estabelecermos uma relação de maior proximidade, porém não estamos as duas ao mesmo tempo, isto é, quando a Fátima está a dar aula estou eu com o aluno e vice versa. Também por isso torna-se mais fácil gerir o tempo com os restantes alunos pois uma de nós está sempre com a turma, quando é necessário a Professora que nos acompanha também fica com o aluno de NEE para podermos intervir as duas.

A relação do aluno com a restante turma nem sempre é a mais fácil porque por vezes torna-se um pouco violento, quando isso não acontece estabelece com a turma uma relação amigável.

O apoio que a escola presta ao aluno é realizado por uma Professora de Necessidades Educativas Especiais..

Beijinhos e boa semana :)


De ana-pombeiro89 a 10 de Novembro de 2012 às 17:29
Olá meninas!

Pela descrição do vosso contexto, vejo que o ambiente dentro e fora da sala de aula é agradável e de compreensão mutua, componentes necessários para que a aprendizagem seja mais favorável.
Apesar de a turma ser relativamente pequena, o que seria um ponto a favor, referiram um aluno com NEE e um outro com hiperatividade o que tornará a vossa tarefa um pouco mais difícil.
Visto que as outras colegas já fizeram várias questões, nomeadamente ao nível do acompanhamento que a escola oferece a estes alunos. Gostava de saber se se sentem preparadas para este desafio? Refiro-me em particular aos dois alunos que referi.


Continuação de bom trabalho

Beijinhos
Ana Pombeiro


De catiaduarte a 11 de Novembro de 2012 às 22:01
Olá Ana,
obrigada pelo teu comentário :)
Se nos sentimos preparada... sabes penso que a nossa formação não é a melhor para este tipo de prática pedagógica, acho que a vertente de psicologia falhou muito no nosso curso. Mas, por outro lado, quando estamos frente a frente com estes alunos e temos oportunidade de os observar e ver como reagem a algumas situações nós próprias criamos estratégias, formas de falar que vão ao encontro das suas necessidades.
Claro que no início custa sempre um pouco mas, falo por mim, no fim é muito compensador e dá sentido a todos os nossos esforços, a todo o nosso trabalho :))

beijinhos e boa semana*


De coutinho-pereira a 11 de Novembro de 2012 às 10:45
Olá meninas =)
Vejo que já foram levantadas questões interessantes em relação à vossa caracterização. Como surgiram as regras, que estratégias usam para lidar com a NEE, qual a organização da sala.
Surgem-me no entanto outras questões.
Quanto à NEE, como é que se definiu o Q.I. da criança? Eu e a Sara tivemos duas no nosso contexto do semestre passado. Sabemos que é algo que pode afectar a dinâmica da sala, pois são crianças que requerem um acompanhamento muito mais individualizado e estratégias apelativas e adequadas. É um grande desafio, mas força nisso!
Mas ninguém ainda vos questionou quanto ao aluno com hiperatividade. E foi ele que me deixou mais curiosa. Como é que ele afecta a aula? Por exemplo, consegue estar sentado no lugar? Como é que esse problema é contornado, que estratégias são adoptadas para isso? Por exemplo, incidem mais nas atividades motoras envolvendo amplas movimentações? Já agora, não percebi se o aluno também é indicado com NEE´s ou não. Fiquei na ideia que não.
Terminando, fico contente pelo bom ambiente e pela relação saudável que parece existir entre as crianças e no contexto. Isso é um enorme passo no sentido de um bom ambiente de trabalho, para que exista uma comunidade educativa, e não deseducativa (Nunes, 2003).
Desejo-vos boa sorte neste percurso, com os desafios que estão a enfrentar.

Um beijinho e Bom Trabalho
Joana =)

Referência:
Nunes, M. (2003). Professor, ensine-me a dar aulas. ASA, Porto.


De catiaduarte a 11 de Novembro de 2012 às 22:08
Olá Joana :)

Respondendo às tuas questões, o Q.I. do aluno com NEE foi definido através de testes realizados por uma psicóloga do agrupamento de escolas da Gafanha da Nazaré.

Relativamente ao aluno com hiperatividade, uma vez que ele toma medicação para controlar as suas ações, quando ele toma os medicamentos não afeta muito a aula, até porque é um aluno que, apesar de algumas dificuldades, é muito empenhado. Quando a medicação não é feita nós notamos logo pois ele não consegue estar quieto na cadeira, levanta-se, mexe nas coisas das colegas, fala os colegas do lado, enfim o esperado..
As estratégias que utilizamos baseiam-se realmente no incentivo a atividades motoras que lhes "gaste" um pouco da energia que tem, claro que o aluno é sempre acompanhado de perto por nós as duas. Dentro de sala de aula conseguimos através do diálogo que ele tente se concentrar mais e quando é chamado à atenção faz um esforço para se manter mais calmo.

Por último, este aluno não foi indicado como aluno de NEE.

Beijinhos e boa semana*


Comentar post

Autores
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
17
19

24
25
26
27
28

29
30
31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post