Blog da UC de Gestão de Comunidades de Aprendizagem online
pesquisar neste blog
posts recentes

Balanço final do trabalho por projeto

Balanço do Projeto de Intervenção

Balanço Geral

As decorações do Natal

Reflexão Intermédia

O Diário de Turma e o Conselho de Turma!

A importância do estágio supervisionado para a formação de professores

Alguma angústias e preocupações durante a prática pedagógica

Estratégias !

Momento de autonomia das crianças

arquivos

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

participar

participe neste blog

Terça-feira, 30 de Outubro de 2012
O trabalho colaborativo e a construção de conhecimento

Antes de mais, deparamo-nos com uma questão fundamental, que nos interessa explorar: o que é o trabalho colaborativo? Mas então surge uma segunda dúvida: qual a diferença entre trabalho colaborativo e trabalho cooperativo? Ou serão a mesma coisa?

A maioria dos textos que encontramos na nossa pesquisa refere o trabalho colaborativo e até a sua importância para as redes de aprendizagem, mas atropela a fase em que explicaria a noção.

Ora, é num texto de Paul Brna (1998), traduzido e publicado num congresso da Sociedade Brasileira de Computação, que conseguimos perceber alguns dos aspetos a ter em conta nesta controvérsia. Será que o trabalho colaborativo implica a divisão de tarefas? Será a colaboração um estado ou um processo?

Compreendemos que o trabalho colaborativo não o seria se implicasse apenas uma divisão de tarefas, em que cada um cumprisse a sua parte, ficando-se por aí. Ele é sim um estado em que os vários colaboradores fazem um esforço síncrono para discutir a mesma questão ou resolver o mesmo problema (Paul Brna, 1998). Diríamos que os participantes colaboram continuamente, realizando processos de cooperação, para conjuntamente resolverem um problema e/ou partilharem uma concepção conjunta.

Grosso modo, o trabalho colaborativo implica a interação entre sujeitos. Esta interação passa pela partilha de interesses e de vivências ou acontecimentos; pela procura de soluções para determinados problemas; pela análise das vivências, situações e problemas, procurando compreender as causas, as consequências, as estratégias e possíveis alternativas, entre outros aspetos. (Chagas, 2002)

                Neste sentido julgamos pertinente referir um dos pressupostos da teoria histórico-cultural, que tem por base o legado de Lev Vygotsky. Segundo esta, o indivíduo aprende e desenvolve-se a partir das suas interações com o outro. Ou seja, o desenvolvimento psíquico ocorre do plano interpsicológico – referente à interação com o outro – para o plano intrapsicológico – na mente do indivíduo (Vigotskii, 1988).

                O importante na aprendizagem é, no fundo, a construção do conceito pelos próprios indivíduos, em que estes mobilizam redes conceptuais para a construção do novo conceito, e em interação com o outro, actuam na sua Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP).

                A ZDP é um conceito originalmente definido por Vygotsky, mas Oers (2009) interpreta a sua definição como uma transição do que a criança é capaz de fazer para o que ainda não é capaz de fazer, através da colaboração.

                Assim podemos compreender a importância do trabalho colaborativo, que envolve a troca de ideias de forma continuada e um feedback constante perante as situações apresentadas, promovendo uma verdadeira construção de conceitos e, por isso, o desenvolvimento dos sujeitos que colaboram. Para além disso, constrói-se continuamente conhecimento, que é cada vez mais completo e mais rico.

                Por conhecimento entendemos, então, as novas ideias, pensamentos, soluções, conceitos, construídos a partir da colaboração entre os indivíduos, com sentido para os mesmos, porque essa construção aconteceu não apenas no plano cognitivo/empírico, mas acima de tudo na mente dos sujeitos envolvidos, contribuindo para o desenvolvimento das suas funções psicológicas superiores.

                Importa acrescentar que as ideias aqui apresentadas sobre a teoria histórico-cultural têm por base a nossa concepção de desenvolvimento, consolidada com a nossa pesquisa para a fundamentação teórica dos nossos relatórios de estágio.

Joana e Sara

 

Bibliografia consultada:


tags: , , , ,

publicado por coutinho-pereira às 23:36

2

De mjoao a 6 de Novembro de 2012 às 20:55
Olá.
Ninguém se pronuncia? Faz sentido o que as colegas referem ou o texto tem aspetos que necessitam de ser clarificados? Ficou clara a distinção entre trabalho colaborativo e trabalho cooperativo? E a ligação com a teoria de Vygotsky ? Venham lá os vossos comentários.
MJL


De isca3534 a 6 de Novembro de 2012 às 21:21
Olá!
Percebi o que era o trabalho colaborativo, mas não entendi se é ou não o mesmo que trabalho cooperativo, falam inicialmente deste último, mas não o desenvolvem. A ligação com a teoria de Vygotsky não está muito clara, de qualquer modo penso que se subentende que o trabalho colaborativo estimula o desenvolvimento entre os envolvidos.
Ana Gomes


Comentar post

Autores
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
17
19

24
25
26
27
28

29
30
31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post